post-title portfolio-title Volume 9 / Outubro – Dezembro 2010 2017-12-19 15:19:09 no no

Volume 9 / Outubro – Dezembro 2010

Revista SPR 2010

A SAF é classificada como primária quando ocorre isoladamente e secundária quando ocorre em associação com outra doença autoimune, principalmente o LES. A SAF primária vem sendo reconhecida como a forma mais prevalente. As formas primária e secundária aparecem em todas as idades. A forma secundária é mais comum em mulheres(1) . O objetivo deste relato de caso é descrever um caso de síndrome do anticorpo antifosfolípide, com manifesta- ções de repetição e de difícil controle, secundária à artrite reumatoide, buscando auxiliar outros profissionais da área médica com informações sobre manifestações clínicas, diagnóstico e tratamento desta patologia. RELATO DE CASO M. E. A. R., sexo feminino, 64 anos, do lar, natural de Alegrete-RS, residente há dez anos em Três Corações-MG, portadora de artrose sem tratamento medicamentoso; osteoporose, em uso de carbonato de cálcio 500 mg/dia, vitamina D 200UI 2 vezes ao dia e ácido zoledrônico 5 mg 1 vez ao ano. Paciente também portadora de diabetes melito tipo II em uso de metformina 850 mg 2 vezes ao dia e insulinoterapia com NPH 30 UI pela manhã e 8 UI à noite. Portadora de artrite reumatoide há 15 anos, fez uso no início do tratamento de metotrexato 15mg/semana durante dois anos e atualmente em uso de leflunomida 20 mg ao dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *