post-title portfolio-title Volume 8 / Janeiro – Março 2009 2017-12-19 14:11:22 no no

Volume 8 / Janeiro – Março 2009

Revista SPR 2009

Nos últimos anos, houve aumento significativo do interesse dos reumatologistas pelo ultrassom (US) como extensão do exame clínico do sistema músculo-esquelético e para guiar procedimentos invasivos. Sua primeira aplicação foi na diferenciação entre cisto de Baker e tromboflebite, e somente em 1978 houve o relato do uso do US na detecção de sinovite em joelhos. Com o avanço dos aparelhos e das técnicas de imagem, tornou-se uma ferramenta importante para a avaliação de diversas doenças, como artrites inflamatórias, afecções dos tecidos moles e avaliação de algumas vasculites. O US apresenta algumas vantagens em relação a outras técnicas de imagem, como ausência de exposição à radiação ionizante, boa visibilidade da cavidade articular, baixo custo, capacidade de obter imagens em diferentes planos e quantificação de anormalidades dos tecidos moles. Além disso, tem rápida execução, boa aceitação pelos pacientes e pode ser repetido com frequência. Dessa forma, é considerado um procedimento de “beira do leito”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *