post-title portfolio-title Volume 8 / Abril – Junho 2009 2017-12-19 15:17:08 no no

Volume 8 / Abril – Junho 2009

Revista SPR 2009

O objetivo deste trabalho foi resumir os principais estudos realizados sobre as alterações do perfil lipídico no lúpus eritematoso sistêmico (LES), devido à doen- ça propriamente dita, de sua atividade inflamatória e de sua terapêutica, bem como aqueles que explicam os mecanismos fisiopatológicos e, assim, identificar os grupos de pacientes com maior risco de desenvolvimento da doença arterial coronária. Pacientes com LES, mesmo sem sofrer a influência da terapêutica ou da atividade da doença, apresentam diminuição dos níveis séricos de HDL, assim como aumento dos níveis séricos de VLDL e de triglicérides, que é o padrão de dislipoproteinemia da doença. A atividade inflamató- ria da doença acentua esse distúrbio do metabolismo das lipoproteínas. Os níveis de lipoproteína(a) [Lp(a)], que são geneticamente determinados, encontram-se aumentados e fazem parte do padrão de dislipoproteinemia da doença, que é altamente aterogênico. Além disso, existe redução da atividade da enzima lipoproteína lipase, responsável pelo catabolismo de lipoproteínas ricas em triglicérides, como os quilomícrons e a VLDL, que também explica o padrão de dislipoproteinemia da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *