post-title portfolio-title Volume 5 / Abril – Junho 2006 2017-12-19 13:33:40 no no

Volume 5 / Abril – Junho 2006

Revista SPR 2006

A punção de quadril pode ser bastante útil, tanto para diagnóstico como para tratamento de monoartrites crônicas nesta articulação. Trata-se de articulação bastante profunda e com íntima relação com o feixe vásculo-nervoso femoral. Dessa forma, apesar de poder ser puncionada às cegas, principalmente para diagnóstico, recomenda-se que a articulação do quadril seja submetida à infiltração intra-articular com o auxílio de imagem. TÉCNICA – Os autores não recomendam esta abordagem para fins terapêuticos, mas sim, apenas, para diagnóstico, principalmente em crianças. A posição adotada pelo paciente é o decúbito dorsal com o membro inferior em posição neutra. Deve-se utilizar em adultos uma agulha espinhal ou lombar e em crianças uma agulha de 40x8mm. A abordagem da articulação deve ser por via anterior, na qual a pele tem maior sensibilidade. Portanto, a realização de um botão anestésico cutâneo pode tornar o procedimento mais tolerável. A agulha deverá ser introduzida em um ponto localizado 1,5cm abaixo e 1,5cm medialmente ao ponto de cruzamento imaginário de uma linha vertical descendente da espinha ilíaca ântero-superior com uma linha horizontal passando sobre a extremidade superior do trocânter maior do fêmur (Figura 1).