post-title portfolio-title Volume 10 / Outubro – Dezembro 2011 2017-12-19 15:20:25 no no

Volume 10 / Outubro – Dezembro 2011

Revista SPR 2011

A febre reumática (FR) é uma complicação não supurativa, inflamatória, autoimune da infecção por Streptococcus pyogenes β-hemolítico do grupo A de Lancefield, que acomete, de preferência, indivíduos em idade escolar, causando faringite ou faringoamidalite estreptocócica. É caracterizada por alterações inflamatórias do coração, articulações, vasos sanguíneos e tecidos subcutâneos. Pode ocorrer lesão crônica progressiva das válvulas cardíacas, embora sejam desconhecidos os mecanismos específicos de lesão tecidual. Evidências sugerem que os mecanismos desencadeantes das lesões sejam de natureza autoimune(1) . A profilaxia do primeiro surto de febre reumática – prevenção primária – depende do diagnóstico preciso de faringoamigdalite estreptocócica e da indicação precoce de tratamento específico adequado. A conduta mais eficaz corresponde à administração intramuscular de penicilina G benzatina (benzilpenicilina). Medidas de higiene pessoal e ambiental, a detecção de “portadores sadios” e o controle, em fase inicial, dos surtos epidêmicos, podem e devem beneficiar indivíduos com passado reumático e uma população desconhecida e latente de candidatos ao primeiro surto da enfermidade(2) .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *