Métricas para avaliação das doenças reumatológicas

Reunimos nesta seção as principais métricas utilizadas na prática clínica para o cuidado dos pacientes com doenças reumatológicas.

 

Artrite Reumatoide

 

 DAS 28 = Disease Activity Score. Calculador:

http://www.das-score.nl/das28/en/

DAS28 – Artigo original

http://www.rheumatology.org/Portals/0/Files/Modified%20Disease%20Activity%20Score_28.pdf

 

Escore de atividade da doença (artrite reumatoide). Avalia 28 articulações (IFPs, MCFs, punhos, cotovelos, ombros e joelhos), VHS ou PCR, e percepção global da doença pelo paciente (EVA de 0-100).

No site oficial (link acima), há também versões sem a escala visual analógica (EVA) e a versão original com 44 articulações (DAS44 ou simplesmente DAS).

– Interpretação:

<2,6: remissão

2,6 a 3,2: atividade baixa

>3,2 a 5,1: atividade moderada

>5,1: atividade alta

 

Diminuição de 0,6: resposta moderada.

Diminuição de 1,2: resposta importante.

 

 

SDAI = Simplified Disease Activity Index

http://www.rheumatology.org/Portals/0/Files/SDAI%20Form.pdf

 

É o índice simplificado de atividade da doença (artrite reumatoide). Não necessita de calculadora (ao contrário do DAS).

– Como calcular: é a soma linear dos seguintes parâmetros:

28 articulações dolorosas (cada uma pontua 1 ponto)

28 articulações edemaciadas (cada uma pontua 1 ponto)

EVA doença – paciente (0-10)

EVA doença – médico (0-10)

PCR (em mg/dL) – de zero a 10.

 

Total máximo: 86 pontos. Como interpretar:

<= 3,3: remissão

> 3,3 a <=11: atividade baixa

> 11 a <=26: atividade moderada

>26: atividade alta

 

Melhora pequena: >=50%

  1. moderada: >=70%
  2. importante: >=85%

 

 

CDAI = Clinical Disease Activity Index

http://www.rheumatology.org/Portals/0/Files/CDAI%20Form.pdf

 

É o índice de atividade clínica da doença (artrite reumatoide). É análogo ao SDAI, contudo sem o PCR.

– Como calcular: é a soma linear dos seguintes parâmetros:

28 articulações dolorosas (cada uma pontua 1 ponto)

28 articulações edemaciadas (cada uma pontua 1 ponto)

EVA doença – paciente (0-10)

EVA doença – médico (0-10)

 

Total máximo: 76 pontos. Como interpretar:

<= 2,8: remissão

> 2,8 a <=10: atividade baixa

> 10 a <=22: atividade moderada

>22: atividade alta

 

 

 

Espondiloartropatias

 

ASDAS = Ankylosing Spondylitis Disease Activity Score

http://www.asas-group.org/clinical-instruments/asdas_calculator/asdas.html

 

Escore de atividade da Espondilite Anquilosante

– Interpretação:

<1,3: doença inativa.

<2,1: atividade moderada

2,2 a 3,5: atividade alta

>3,5: atividade muito alta

Uma mudança >= 1,1 é clinicamente significante.

Uma mudança >= 2,0 é uma mudança muito significativa

 

 

BASDAI = Bath Ankylosing Spondylitis Disease Activity Index

http://basdai.com/select.htm (inglês)

http://www.asas-group.org./clinical-instruments/clinical_instruments/asas_basdai_pt.pdf (português – PT)

 

Índice de atividade de Bath para a espondilite anquilosante

Escore de zero a 10. Se >=4: indica atividade da doença.

Uma mudança maior ou igual a 2 pontos após intervenção terapêutica é considerada significativa.

Como calcular: são 6 perguntas. Obter a média das perguntas 5 e 6 (gravidade e duração da rigidez matinal). Esta média é somada ao resultado das perguntas 1-4 e obtém-se uma média de 5 valores, o que resulta em um valor de 0 a 10.

 

 

BASFI = Bath Ankylosing Spondylitis Functional Index

http://basdai.com/select.htm (inglês)

http://www.asas-group.org./clinical-instruments/clinical_instruments/asas_basfi_pt.pdf (português-PT)

 

Índice functional de Bath para a espondilite anquilosante

Como calcular: fazer uma média dos valores obtidos nas 10 perguntas quem compõem o índice.

 

 

BASMI = Bath Ankylosing Spondylitis Metrology Index

http://www.asas-group.org./clinical-instruments/clinical_instruments/asas_basmi_pt.pdf (português – PT)

 

Índice métrico de Bath para a espondilite anquilosante

Como calcular: cada alteração pode pontuar de zero a 2, e como são 5 itens avaliados, o final é um escore de zero até 10. Quanto mais alto o índice, mais grave o acometimento do paciente.

Há também uma versão (BASMI 10) que, ao invés de cada item pontuar de zero a 2, cada item pontua de zero a 10. Após, o resultado total é dividido por 10 e o resultado final fica também de zero a 10. (link pdf da NASS – National Ankylosing Spondylitis Society – UK)

 

 

 

 

Lúpus

 

SLEDAI 2K = Systemic Lupus Erythematosus Disease Activiy Index 2000

Artigo original – http://www.jrheum.org/content/29/2/288.long

SELENA – SLEDAI http://www.nejm.org/doi/suppl/10.1056/NEJMoa051135/suppl_file/nejm_petri_2550sa1.pdf

Calculadora – https://www.qxmd.com/calculate/calculator_335/sledai-2k

 

O índice de atividade do lúpus eritematoso sistêmico 2000 (SLEDAI-2K) é uma modificação do SLEDAI original que pontua também as seguintes alterações crônicas (e não apenas agudas): persistência de alopecia, úlceras orais e proteinúria.

A atividade da doença é avaliada nos últimos 10 dias. O índice varia de 0 a 105 pontos, e um valor maior ou igual a 6 indica uma alteração clínica significativa suficiente para mudar o manejo.

Os critérios de SELENA-SLEDAI de exacerbação leve/moderada ou grave podem ser visualizados no link acima.

 

 

SLICC/ ACR SDI (1997) – Systemic lupus international collaborating clinics/ American College of Rheumatology damage index

Artigo original – http://www.rheumatology.org/Portals/0/Files/SLICC%20ACR%20Damage%20Index%201996.pdf

Calculadora – http://www.qxmd.com/calculate/calculator_336/slicc-acr-damage-index

 

O índice de dano crônico no lúpus eritematoso sistêmico pontua de 0 a 46, e inclui alterações que estejam presentes há pelo menos 6 meses ou que sejam irreversíveis. O índice é cumulativo e valores mais altos estão associados a pior prognóstico e maior mortalidade.

 

 

Osteoporose

 

FRAX – WHO Fracture Risk Assessment Tool

Calculadora – https://www.shef.ac.uk/FRAX/tool.aspx?country=55

 

O FRAX avalia o risco em 10 anos de fraturas osteoporóticas do quadril ou em geral (quadril, coluna, úmero proximal ou antebraço) em pacientes virgens de tratamento. Os pacientes são considerados de alto risco para fraturas caso tenham uma densitometria com osteopenia e um risco em 10 anos de fratura do quadril >=3% ou em geral >=20%.

 

 

Síndrome Sjögren

 

ESSDAI – EULAR Sjögren’s Syndrome Disease Activity Index

Artigo original – http://ard.bmj.com/content/early/2009/06/28/ard.2009.110619.abstract

 

Em caso de dúvidas ou sugestões (link corrompido, métrica nova não atualizada no nosso site, etc), entre em contato conosco pelo: reumatologiasp@reumatologiasp.com.br 

Última atualização: março de 2018.

Acesse também:

Por que se tornar um Sócio SPR?

Associe-se à SPR e tenha acesso a benefícios exclusivos:

  • Fórum da SPR: assista online ou presencialmente aos Fóruns SPR, que apresentam casos clínicos, analisados e discutidos por especialistas da área. Você ficará atualizado em relação à literatura médica. Nas apresentações online em tempo real, você terá a oportunidade de interagir com os seus colegas. Ou poderá assistir aos Fóruns gravados no momento mais conveniente para você.
  • Revista Paulista de Reumatologia (RPR): Trimestralmente, você receberá em seu endereço, com exclusividade, uma das revistas científicas de maior prestígio na área de Reumatologia, atualizando-se sobre os mais recentes temas desta especialidade. Você também terá acesso online à edição atual e às anteriores da RPR, no formato PDF. Efetuando a busca por assunto, localizará rapidamente as edições que procura.
  • Descontos em Eventos: o sócio da SPR tem descontos em eventos e congressos promovidos pela SPR e pode concorrer a prêmios fornecidos pela sociedade.
  • Conteúdos exclusivos: o sócio da SPR terá acesso a uma área exclusiva do nosso site, com as mais recentes publicações da SPR.
  • Tenha uma página na internet: em breve o sócio da SPR poderá ter uma página de divulgação vinculada ao site da SPR.

Para se tornar um sócio da SPR é simples

Atente para as instruções abaixo:

  1. Preencha todos os campos do formulário disponível para download (abaixo).
  2. Envie o formulário devidamente preenchido por e-mail para:
    reumatologiasp@reumatologiasp.com.br
  3. Enviar uma cópia da cédula de identidade de médico por e-mail:
    reumatologiasp@reumatologiasp.com.br
  4. Aprovação do novo membro
    Após o envio, a secretaria da SPR irá validar o status da sua associação, e enviará a cobrança da anuidade da SPR (R$360,00) por boleto. Após o pagamento da anuidade você receberá um e-mail avisando que o processo for concluído.